30/08/2021 às 14h38min - Atualizada em 30/08/2021 às 14h38min

Obra mal planejada provoca alagamento na Avenida Recife e desabriga famílias em Cacoal

da Redação
A chuva de domingo (29), a noite, trouxe sérios prejuízos para pelo menos três famílias residentes na Avenida Recife, em Cacoal. O local passa por obras e, segundo informações passadas por um leitor de Tribuna Popular, a empresa contratada para a pavimentação asfáltica da região, retirou um tubo que escoava a água.

“Pior, eles tiraram o tubo e fizeram o asfalto com a caída toda para o lado da rua, tanto da pista de cima, como da pista de baixo. Com a chuva de ontem, não tinha meio fio, não tinha calçada, não tinha nada, a água desceu e passou por dentro de duas ou três casas”, detalhou o Leitor de Tribuna Popular.

Segundo as informações, uma casa caiu e outra, de madeira, ficou extremamente danificada. “A água entrou até a altura das janelas, alagou todo aquele local. Foi um desastre. A empresa foi avisada de que o que eles estavam fazendo poderia causar grandes danos, mas mesmo assim foram lá e fizeram”, completou o Leitor TP, que é engenheiro civil em Cacoal.

Nesta segunda-feira (30), a equipe do Jornal Tribuna Popular entrou em contato com o coordenador da Defesa Civil em Cacoal. Lucas Borghi destacou que a empresa responsável pela obra não atendeu às solicitações da Prefeitura Municipal. “Na verdade essa é uma obra da gestão passada e o município vem cobrando da empresa responsável, várias vezes, para executarem o serviço da forma que realmente foi planejado, dando os acabamentos da forma correta. A empresa não tem atendido as solicitações e com a chuva deste domingo, a água foi represada cedeu e a enxurrada foi para as casas, rompendo muros, derrubou um escritório. Enfim, causou diversos danos”, destacou o coordenador da Defesa Civil em Cacoal.

“A Defesa Civil do município fez todo o relato, registrou diversas imagens do local, para acionar a Defesa Civil, do Governo Federal, para tentar indenizar as famílias, pelos danos que tiveram. Além disso, a Semast (Secretaria Municipal de Ação Social) foi contatada para ver a possibilidade de realocar as famílias mais prejudicadas em um novo local, onde possam morar”, finalizou Lucas Borghi.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://ofatoagora.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp