11/10/2021 às 09h49min - Atualizada em 11/10/2021 às 09h49min

Partida

Jefferson Faria


Um homem sozinho. Uma pessoa triste.
Resolveu que ia mudar. Resolveu que ia aproveitar a vida.
A casa onde morava era precária.
Não tinha nenhum acabamento, sem cores, sem vida.
As paredes cheiravam a mofo, o chão todo trincado.
Saiu para a rua. Mochila nas costas.
Não haviam vizinhos.
Pelos menos ele não conhecia nenhum.
Devia ter algum vizinho, algum amigo.
Não tinha.
A rua quase toda deserta. Rua 04.
Um cachorro dormia sob a sombra de uma árvore.
O homem estava indo. Partindo.
Os olhos miúdos despediam-se dos muros e portões fechados.
Nada ali sentiria sua falta. Nada.
Começou a cruzar a rua tranquilamente.
Nunca mais voltaria àquele lugar, àquele bairro, àquela cidade.
Sorriu para o cachorro dorminhoco.
Olhou novamente para trás.
Adeus pequeno canto. O mundo é muito maior que isso.
“Jamais voltarei aqui”, era seu pensamento constante.
Respirou fundo. Não viu a camionete que vinha muito rápida.
Não viu mais nada. Ninguém sabia do seu recente propósito.
Enterraram-no no cemitério da Rua 05. 
Link
JEFFERSON FARIA

JEFFERSON FARIA

Um realista esperançoso e acadêmico de direito

Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://ofatoagora.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp